Tia Roberta Odontopediatra » Blog Archive » As células-tronco e o futuro da Odontopediatria
16
julho
2015
As células-tronco e o futuro da Odontopediatria

dentecelulastronco

A situação é a seguinte: imagine se fosse possível a reparação ou regeneração de qualquer órgão ou tecido danificado do nosso corpo? Imagine se você pudesse curar o seu filho de alguma doença extremamente grave por meio de um armazenamento de células? Parece um filme de ficção, mas não é. Hoje em dia é considerado já uma realidade, e está cada vez mais próximo de nós. Essa possibilidade está baseada no estudo das células-tronco. Sabe-se amplamente que as células-tronco – um tipo celular que tem a capacidade de se transformar e se multiplicar em qualquer outro tipo celular do corpo humano – atualmente dispara nas pesquisas científicas mundiais como uma possível salvação para as doenças que mais matam no mundo – como o câncer, por exemplo.

celulastronco

Os seus estudos se iniciaram por volta da década de 60, mas a explosão e avanço de suas pesquisas se deu somente na década de 90 (por isso ainda é tão novo e tão pouco esclarecido!), com o uso de células-tronco da medula óssea. Mais tardiamente, foi testada a coleta das mesmas no cordão umbilical e os seus resultados positivos propagaram-se no mundo todo. Hoje em dia, existem empresas destinadas unicamente à essa coleta no momento do parto e preservação por meio de criogenia (congelamento), cuja finalidade desse armazenamento baseia-se em uma segurança, um investimento que os pais estariam fazendo aos seus filhos, prevenindo assim a possibilidade dos mesmos sofrerem com alguma doença em que precisem de regeneração tecidual.

laboratorio-de-microbiologia

Mas porque estamos falando desse assunto em uma coluna de Odontopediatria? Porque atualmente foi descoberta uma população de células-tronco na polpa dentária de dentes humanos, ou seja, a Odontologia faz parte também desse avanço científico tão importante. Essas células-tronco especificamente, ao serem isoladas das demais células dos dentes, apresentavam a capacidade de regenerar o complexo dentino-pulpar injuriado, dando origem a odontoblastos (células dos dentes) cuja função primordial foi formar o tecido dentário; foi dada uma atenção especial às células-tronco dos dentes decíduos (dentes de leite), que apresentaram resultados mais positivos, o que propicia ao Odontopediatra um diferencial e uma referência para a coleta desses dentinhos, quando for necessário. O armazenamento dos dentes para regeneração tecidual não está aberto à população, pois ainda está em fase laboratorial. Os resultados dos estudos ainda não são 100% seguros, e todo o mecanismo da reparação tecidual por meio de células-tronco ainda precisa ser amplamente estudado e pesquisas adicionais são fundamentais para a credibilidade do mesmo, mas já tornam-se um início para a evolução humana e a terapia definitiva das doenças que afetam milhares de pessoas ao redor do planeta.

tubodeensaio

É importante lembrar que durante anos a Odontologia usa materiais artificiais para recuperar o elemento dentário, e que a possibilidade de recuperar esses tecidos por meio das células-tronco constitui um marco, o que designa ao Odontopediatra o dever de conhecer os conceitos básicos sobre as células-tronco, bem como manter-se atualizado sobre as pesquisas e perspectiva de uso das mesmas, informando aos seus pacientes e à população de uma maneira geral que um futuro revolucionário na Odontologia está mais próximo a cada dia.







[pulaalegria] (óculos) (triste) (sorrisão verde) (seta) (piscada) (pensativo) (muito triste) (mega feliz) (malvado) (lingua) (interrogação) (idéia) (gargalhada) (feliz) (exclamação) (envergonhado) (doido) (confuso) (como assim) (chocado) (bravo)